spot_img
sábado, janeiro 28, 2023

Setor de serviço, comércio e indústria puxam saldo positivo de empregos em outubro

Date:

De acordo com o Novo Caged, o emprego celetista no Brasil apresentou crescimento de 159.454 postos no mês passado

O emprego celetista no Brasil apresentou crescimento de 159.454 postos de trabalho no mês passado. É o que aponta o último relatório do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado em 29 de novembro pelo Ministério do Trabalho e Previdência. O saldo positivo foi puxado principalmente pelo setor de serviços (91.294 postos), distribuído majoritariamente nos segmentos de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias e administrativas.

Comércio (49.356 postos); indústria (14.891 postos), concentrado na indústria de transformação (13.095 postos) e construção civil (5.348 postos) aparecem na sequência das áreas com maior geração de empregos no período. No acumulado de 2022, o saldo é de 2.320.252 empregos, decorrente de 19.445.198 admissões e de 17.124.946 desligamentos.

Bruna Marinho conseguiu um emprego como celetista em agosto deste ano, sete anos após o último posto com carteira assinada. “Para mim, a principal vantagem em ter carteira assinada é a estabilidade que nos entrega, saber que tem benefícios, plano de saúde, vale-transporte, a segurança que a carteira assinada proporciona”, diz.

Empregos por região

No cenário por região brasileira, o Sudeste fica bem à frente das demais no saldo de empregos do mês passado. Foram 80.740 novos postos de trabalho, seguido pelo Nordeste (32.223), Sul (31.244), Centro-Oeste (8.409) e Norte (7.266).

“Esses números mostram a continuidade do bom desempenho do ano de 2022, com saldo de mais de 2,3 milhões de postos de trabalho, o que nos dá a possibilidade de sonhar o fechamento do ano com mais de 2,5 milhões de novos postos. É uma felicidade. A gente verifica que está tudo certo na nossa economia. Quem gera empregos são os empresários que acreditam no Brasil”, disse o ministro do Trabalho e Previdência, José Carlos Oliveira, durante a divulgação dos dados do Caged nesta terça-feira (29). 

Na avaliação do deputado federal Domingos Sávio (PL-MG), a diminuição do custo em cima das folhas de pagamento das empresas pode servir de estímulo para a geração de empregos no país.

“O Brasil ainda tem um custo fiscal em cima da geração de emprego muito alto. Ao contrário de economias que estão melhor do que a nossa, aqui taxa o emprego, tributa o emprego. Eu entendo que uma reforma tributária é necessária no Brasil e um dos focos dessa reforma deve ser diminuir o custo fiscal sobre as folhas de pagamento. Com isso, tiraríamos muita gente da informalidade e ampliaria o emprego formal no Brasil”, diz o parlamentar.  

Entre os estados, apenas o Amapá teve variação negativa no período observado. Foram 3.245 admissões contra 3.744 desligamentos. O melhor balanço de outubro está concentrado no Sul-Sudeste do país. São Paulo lidera a lista, com 60.404 postos de trabalho, seguido pelo Rio Grande do Sul (13.853 postos) e Paraná (10.525 postos). Por outro lado, as unidades federativas com menor saldo foram Rondônia (617) e Roraima (525).
 

Fonte: Brasil 61

Share post:

Subscribe

spot_imgspot_img

Popular

More like this
Related

Estrela da Marvel, Simu Liu, exibe abdômen trincado em evento de moda

Simu Liu não tem receio algum de exibir seu abdomem...

Caldas Country Festival 2023 abre pré-venda de ingressos com preço especial!

Público já pode garantir o acesso à 16ª edição...

Famílias e empresas pagaram juros mais altos em 2022, diz BC

As famílias e as empresas pagaram taxas de juros...

Polícia Federal deflagra terceira fase da Operação Lesa Pátria

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (27) a terceira...