spot_img
sábado, fevereiro 4, 2023

Justiça determina reaplicação do Enem para moradores do Jacarezinho

Date:

Ação policial no dia do exame prejudicou candidatos da comunidade

Prejudicados por trocas de tiros em um dos dias do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), os candidatos moradores do Jacarezinho, na zona norte do Rio de Janeiro, terão direito à reaplicação da prova, segundo decisão liminar da 17ª Vara Federal do Rio de Janeiro. Também poderão refazer o teste aqueles que estavam inscritos em locais de prova em um raio de 5 quilômetros da comunidade.

A decisão atendeu a uma ação civil pública apresentada pela Defensoria Pública da União (DPU) no último dia 2. A DPU afirma que recebeu informações de que diversos candidatos inscritos, que deveriam fazer o exame no Jacarezinho e região, não compareceram aos locais de prova por causa de tiroteios e ações policiais.

“O clima era de pânico, havendo inclusive pessoas baleadas. Os relatos indicavam prejuízos de candidatos que sequer conseguiram sair de suas residências e de outros que ficaram abalados nas salas de prova, ouvindo os disparos dos confrontos”, afirma a defensoria.

Em 21 de novembro, a DPU já havia enviado um ofício ao Inep e diz ter recebido como resposta que não houve “qualquer tipo de ocorrência na comunidade do Jacarezinho que viesse a comprometer a aplicação das provas”. Segundo a DPU, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) disse ainda que todos os participantes que se sentissem prejudicados teriam até 25 de novembro para acessar o site e pleitear a reaplicação das provas. 

No dia seguinte ao exame, o ministro da Educação, Victor Godoy, afirmou, em entrevista coletiva, que os casos dos moradores do Jacarezinho seriam analisados e que o ministério faria todo o possível para que não fossem prejudicados e fossem encaminhados para a reaplicação.

O juiz federal Eugênio Rosa de Araújo entendeu, em sua decisão, que a operação policial realizada no fim de semana do Enem, “andou na contramão dos direitos fundamentais dos participantes do exame”.

“Não cabe a este juízo analisar o mérito e a legalidade da operação, mas não pode despir a operação policial das suas consequências para a sociedade, em especial os candidatos do Enem naquela região; logo, não há como ignorar ou afastar o impacto direto da ação policial no direito dos candidatos”, escreveu.

O prazo para cumprimento da decisão é de 30 dias úteis, sob pena de multa diária de R$ 50 mil.

Fonte/ Ag Brasil

Share post:

Subscribe

spot_imgspot_img

Popular

More like this
Related

SP: Carnaval de Rua 2023 deve reunir 15 milhões de foliões

São Paulo recebe os primeiros desfiles no dia 11...

Rio: CET-Rio monta esquema de trânsito para ensaio técnico do Império Serrano

Fevereiro chegou!! e o primeiro fim de semana do...

Shania Twain revela que adorava trabalhar em rede de fast-food antes da fama

A cantora Shania Twain revelou ao ET Canada que trabalhou no McDonald's e aprendeu...

Anatel amplia uso de bloqueadores de celular, internet e drones

Usados até agora apenas em penitenciárias, os bloqueadores de...