Turma do Bem oferece tratamento odontológico gratuito a jovens, mulheres trans vítimas de violência

Em uma iniciativa inovadora, a Turma do Bem  – maior rede de voluntariado especializado do mundo – passa a oferecer tratamento odontológico integral e gratuito a mulheres transgênero no âmbito do programa Apolônias do Bem. O anúncio foi feito no Sorriso do Bem, evento anual de capacitação, realizado de 1º a 4 de novembro, em Poços de Caldas (MG).

Para atingir mais beneficiárias, foi lançada uma parceria com a Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar do Poder Judiciário de São Paulo (Comesp). Ela primeiramente passará a encaminhar moradoras da capital paulista para a Turma do Bem, como parte do Projeto Fênix, voltado à recuperação física e psicológica da mulher vítima de violência de gênero.

Segundo a juíza Maria Domitila Manssur, integrante da Comesp, a expectativa é que, numa segunda fase, a parceria seja estendida para as demais cidades do Estado, numa tentativa de reverter os números apontados pelo Mapa da Violência, que revelou que, a cada 5 minutos, uma mulher é agredida no Brasil. “A ideia é que isso ganhe o país inteiro. Estamos passando a proposta para juízes de outros Estados”, diz.

“Mulheres trans são o retrato da exclusão no Brasil. São vítimas de todos os tipos de violência: física, psicológica, de gênero. Buscamos apagar as marcas físicas, devolver o sorriso, a mastigação, a autoestima, numa tentativa de diminuir as profundas marcas invisíveis que elas carregam”, diz o presidente voluntário da Turma do Bem, o dentista Fabio Bibancos.

O programa Apolônias do Bem, que tem apoio da ONU Mulheres e já proporcionou atendimento gratuito a 750 mulheres vítimas de violência, foi criado em 2012, em São Paulo. Em 2013, foi ampliado para o Rio de Janeiro e, em 2014, para o Espírito Santo. No ano passado, o programa foi estendido para todo o país.

Neste ano, ele passou a incluir mulheres transgênero entre as beneficiárias. Até agora, três foram atendidas: a catadora Daniela, 31 anos, que perdeu os dentes após ser violentada e agredida nas ruas; a entregadora de fast food Paloma, 26 anos, abusada pelo padrasto dos 9 anos aos 11 anos e que define o estado de sua boca antes do tratamento como “uma estrada cheia de buracos”.

E a assistente social Thaïs, 67 anos, também violentada e agredida nas ruas e que recorria a truques como colocar chicletes na boca para disfarçar a falta de dentição. “A tragédia humana é que, quando se fala em homem e mulher, automaticamente você sexualiza. Ser mulher é uma construção social. O fato de ter um corpo biologicamente feminino não te obriga a ter uma identidade feminina”, ensina.

Suas histórias estão nos sete documentários sobre mulheres vítimas de violência atendidas pela ONG, lançados no Sorriso do Bem. Os filmes têm duração entre 4 minutos a 6 minutos e estão disponíveis em https://www.youtube.com/user/turmadobem/videos.

MELHOR DENTISTA DO MUNDO É DE ARAÇATUBA

Reconhecida por ser uma das cinco organizações com maior impacto social no mundo pelo programa Dentista do Bem, a Turma do Bem – que já ofereceu tratamento odontológico gratuito a 68.000 jovens de 11 a 17 anos com graves problemas bucais e provenientes de famílias de baixa renda no Brasil e em mais 12 países da América Latina e em Portugal – anunciou o melhor dentista da rede de 16 mil voluntários.

Osvaldo Magro Filho, doutor em odontologia e professor da Unesp (Universidade Estadual Paulista), coordenador regional do programa Dentista do Bem em Araçatuba (SP), é o bicampeão do prêmio, algo inédito nos 15 anos de história da ONG. “Quando eu percebi que a crise econômica estava parando o país, mobilizei meus amigos, meus familiares, pessoas da minha região para tentar levantar fundos. No meu aniversário de 50 anos, as pessoas não me davam presente, mas faziam uma doação para a Turma do Bem”, diz ele, sobre o diferencial em sua atuação.

O Rio de Janeiro marcou presença no evento e agora tem uma Embaixadora na Turma do Bem. Waleska Marin Bessa Trinkenreich é dentista do Bem desde 2009 e Coordenadora desde 2014 e destacou-se por incluir mais jovens cariocas e mulheres vítimas de violência doméstica na Turma do Bem. Os números de assistidos vem aumentando graças aos dentistas voluntários.

Além de colaborarem com a captação de recursos, os coordenadores são responsáveis por triagens de possíveis beneficiários. Também têm a missão de impactar políticas públicas, sugerindo projetos de lei que prevêem a distribuição do kit de higiene bucal (escova, pasta e fio). Precisam conquistar novos dentistas voluntários para a rede. E atender crianças, jovens e mulheres vítimas de violência.

ESTUDANTES SÃO PREMIADOS COM DENÚNCIAS DE FALTA DE ACESSO À SAÚDE BUCAL

Na categoria Estudante do Bem – que estimula estudantes de odontologia a  produzir painéis com relatos de casos clínicos que evidenciem a realidade social e odontológica de uma criança ou adolescente de baixa renda – houve dois vencedores.

A estudante Rebeca Soares Pereira, de Campina Grande (PB), foi escolhida em votação interna. A aluna da Universidade Estadual da Paraíba trouxe o caso de Beatriz Silva, de 13 anos, que sofre com dores de dentes e bullying na escola e que não conseguiu tratamento no sistema público de saúde.

“Eu a encontrei em uma Megatriagem [seleção anual de beneficiários, que acontece no dia 28 de abril simultaneamente em 14 países] cabisbaixa e com a mão na boca. Tinha todos os dentes destruídos e não sorria”, lembra Rebeca, que, como prêmio, recebeu um equipo odontológico completo. “Estou indo para o nono período [na faculdade]. No ano que vem, venho para o Sorriso do Bem não como estudante, mas como dentista da Turma do Bem.”

O estudante eleito pelo público no site da TV TdB (www.tv.tdb.org.br) foi Fábio Augusto Alves, de Natal (RN). O aluno do quarto ano da Universidade Potiguar recebeu 77.244 votos com um painel com o relato do caso de Alícia Maria Silva, de 17 anos, que vive em uma comunidade de Natal e tem de lidar com dores e bullying na escola devido à condição dos dentes.

As cerimônias de premiação ocorreram no tradicional Palace Casino e tiveram como mestres de cerimônia os atores Rodrigo Santoro e Mel Fronckowiak, além de interpretação musical de Miranda Kassin. A direção foi de Marcelo Várzea.

O evento contou ainda com as presenças dos atores Eriberto Leão, João Vitti, Ademir Emboava e Bernardo Bibancos, das atrizes Lu Grimaldi, Nathália Timberg e Renata Castro; da escritora Thalita Rebouças; da Miss Brasil Raissa Santana e da Miss São Paulo Sabrina de Paiva. Chico Buarque gravou uma participação especial em apoio ao programa Apolônias do Bem.

Neste ano, o Sorriso do Bem teve como eixo central o tema empatia e contou com a participação do médico Marco Antônio de Carvalho Filho, criador de um curso sobre o tema para alunos de medicina na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), do historiador Leandro Karnal e dos escritores Valter Hugo Mãe, Rodrigo Fiuza e Thalita Rebouças.

Sobre o Sorriso do Bem
Maior evento de saúde bucal e voluntariado do mundo. Por sua projeção e impacto, foi comparado à FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty) e a Davos, na Suíça, onde se encontram os maiores nomes da economia mundial. Neste ano, pela primeira vez, o Sorriso do Bem foi realizado em Poços de Caldas (MG) e contou com a participação de 500 profissionais e convidados de diversos países. Entre os palestrantes convidados estão o historiador Leandro Karnal, os escritores Valter Hugo Mãe e Thalita Rebouças e o médico Marco Antônio de Carvalho Filho, criador de um curso sobre empatia para alunos de medicina na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), entre outros. O Sorriso do Bem 2016 é apresentado pela Oral-B e tem apoio da Morelli Ortodontia, Amil Linha Dental, Argo Seguros, Heraeus Kulzer, R-Crio, SIN Implante e Surya Dental.
Sobre a Turma do Bem
A Turma do Bem (www.turmadobem.org.br) é a maior rede de voluntariado especializado do mundo, com 16 mil dentistas atuando em 14 países. Oferece atendimento odontológico gratuito à população de baixa renda em condição de vulnerabilidade social e com graves problemas bucais: jovens de 11 a 17 anos e mulheres vítimas de violência doméstica. Em 14 anos, impactou 68 mil jovens e 600 mulheres. Tem um modelo inovador de gestão, baseado no voluntariado, caracterizado pela fácil replicabilidade e pelo baixo custo para a organização. Por seus projetos, a ONG ganhou o prêmio Empreendedor Social da Schwab Foundation, tornou-se fellow da Ashoka, foi reconhecida pela Organização das Nações Unidas e escolhida pela fundação filantrópica Epic Foundation para integrar o primeiro portfólio de instituições que investem em alto impacto social. Os mantenedores da Turma do Bem são Oral-B, Amil Linha Dental, Surya Dental e Heraeus Kulzer.

Créditos: WALESKA MARIN BESSA TRINKENREICH / Divulgação

(Visited 35 times, 1 visits today)

Comentários no Facebook

Anuncie Aqui! Dê Mais Visibilidade ao Seu Negócio CLIQUE AQUI E ENTRE EM CONTATO