Rouquidão e dor ao falar são sinais de alerta para profissionais da voz

Após a jornada de 8 horas diárias, falando continuamente, a nutricionista Danielle Magalhães passou a sentir dor ao falar. Foi diagnosticada com problemas nas cordas vocais e está em tratamento. Ela está entre os profissionais da voz – como professores, atendentes de telemarketing, vendedores e cantores ­- que precisam estar atentos à saúde vocal.

“Profissionais que usam a voz por muitas horas seguidas podem chegar a uma fadiga muscular, portanto, nos primeiros sintomas de problemas com a voz, eles devem buscar o diagnóstico de um médico para o quadro não agravar”, explica o médico otorrinolaringologista Rodrigo Pêgo, do Rio de Janeiro, membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF).

Diante de dor, coceira ou rouquidão, algumas pessoas acabam se automedicando com sprays ou balas de gengibre, mas esses paliativos podem mascarar um problema mais grave. Pêgo ressalta que com o tempo, sem o tratamento adequado, podem surgir nódulos, popularmente conhecidos como “calos” nas cordas vocais.

“Para quem trabalha com a voz, é fundamental usar o diafragma como apoio respiratório, com técnicas específicas, bem como evitar competir com os barulhos das redondezas. Se for necessário, avalie a possibilidade de usar um microfone, por exemplo”, sugere Pêgo.

Seis medidas simples para cuidar da voz

O médico otorrinolaringologista Rodrigo Pêgo lista a seguir medidas que os profissionais que trabalham com a voz devem ter diariamente:

Beba muita água – Ao longo do dia, é essencial hidratar as cordas vocais com água em temperatura ambiente. É recomendável o consumo de pelo menos 2 litros por dia. Bebidas muito quentes ou muito geladas são prejudiciais à garganta e devem ser evitadas ao máximo. Já as bebidas alcoólicas ressecam.

Fale normalmente – Jamais force a garganta com gritos ou sussurros porque a tensão exagerada da musculatura pode provocar a formação de nódulos.

– Evite pigarrear – Algumas pessoas busca limpar a garganta pigarreando, mas acabam prejudicando a saúde. Prefira beber água em temperatura ambiente. Se o sintoma persistir, busque auxílio médico.

Pare de fumar – A nicotina e o calor da fumaça são altamente prejudiciais para a laringe, e os problemas vão desde o ressecamento das cordas vocais, com rouquidão e perda de potência, até o câncer de laringe.

Poupe a voz – Nos intervalos do trabalho, busque ficar em silêncio, sem forçar ainda mais as cordas vocais. Esse descanso é importante.

Use microfone – Professores e palestrantes, por exemplo, devem avaliar a possibilidade de contar com um microfone para evitar elevar o volume da voz por longos períodos.

Atenção – Sintomas como dor ao falar, rouquidão ou coceira podem indicar que as cordas vocais estão irritadas. Cabe destacar que de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) o Brasil é o segundo país com mais casos de câncer de laringe, somente atrás da Espanha. Busque uma consulta especializada para o diagnóstico e o tratamento mais bem adequado para o seu caso.

Fonte/ Influência Comunicação

(Visited 11 times, 1 visits today)

Comentários no Facebook

Anuncie Aqui! Dê Mais Visibilidade ao Seu Negócio CLIQUE AQUI E ENTRE EM CONTATO