Nova casa de espetáculos, em São Francisco, estreia com a irreverente peça “O Grito”, a partir de 5 de novembro

13230312_10210103880623192_7439189313529397371_nLocalizado num dos endereços mais charmosos da cidade, o Casarão da Fróes, com vista da baia de guanabara, lança programação teatral se firmando como nova alternativa cultural  para público de Niterói e adjacências

“Mendigos, o grito da fome; o legítimo e o ilegítimo, o grito de alerta; as máscaras, o grito de dor; os bonecos decepados, o grito de horror; o aborto, o grito da perda; a criada, o grito da subserviência; o banheiro, o grito de escárnio; a família, o grito da gula; a gula, o grito da morte; o homem encarcerado, o grito de liberdade; o hospício, o grito de paz. Com todas essas expressões atuais do desespero humano foi construído o espetáculo teatral “O Grito”, da Cia. Ópera Prima Teatral, com direção de Carrique Vieira. Após curta temporada no Terreiro Contemporâneo (Lapa), reestreia, em Niterói, em uma mansão de três andares com vista paradisíaca da baia, o “CASARÃO DA FRÓES”, comandado pelo em presário Marcelo Souza. O espetáculo será encenado aos sábados e domingos de novembro, às 20h, utilizando os três pavimentos e a piscina.

O Grito é um espetáculo itinerante que conduzirá o público por todos os ambientes do casarão, escolhido para a estreia por possibilitar a criação de diversos ambientes cênicos na ótica de inovação artística adotada pelo espaço. Os personagens interagem em meio ao público que, durante todo o trajeto, é norteado e acompanhado por um palhaço, personagem do ator Silvio Garcia. Unindo música, teatro, literatura, artes plásticas, performance e liberdade criativa, “O Grito” é resultado de pesquisas laboratoriais desenvolvidas pela Cia. Ópera Prima Teatral na busca de um teatro irreverente e, ao mesmo tempo, despretensioso, que dialogue com todas as linguagens artísticas. “O objetivo é unificar a arte em torno da temática “O ser humano”. Como no expressionismo, adotamos uma atitude e uma nova forma de entender o teatro, que aglutina diversas tendências, formações e níveis intelectuais’, define Carrique Vieira, diretor da peça.

O cenário e os figurinos são assinados pela Ópera Prima Teatral e cada ator (atriz) tem em média três trocas de roupa. Segundo Carrique, o cenário é simples e funcional, mas cumpre de forma profícua a função de servir de suporte para o elenco alcançar o máximo de sua atuação alegórica e surreal. Na ambientação: painéis ilustram os golpes de estado que ocorreram na América Latina e máscaras representam as vítimas de tortura. As artes plásticas integram o cenário com a exposição “Freak Art”, de Chris Moraes, inspirada no que a artista define como “sombrio lúdico” de “Tim Burton m eet Tarantino” e a artista Priscila Cardoso foi responsável pela criação de uma escultura da cabeça de um homem de 86 x 70 de diâmetro, chamada “A Gula”.

A Gula é um dos temas abordados pelo texto. O pecado capital mais conhecido pelo excesso no comer e beber, numa simbologia maior, significa voracidade. A característica da gula é engolir sem digerir, usada como crítica ao consumo de informações e conhecimento intelectual nos tempos atuais. O autor uniu sua estética literária a textos de Caio Fernando Abreu numa sequência de cenas que se conectam, dando ao expectador o controle inconsciente da modulação das sensações e dos sentimentos. A mente humana, neste caso, passa a ser o objeto catalizador da essência do artista. “É tudo real! É mesmo um grito. As pessoas não costumam gostar de ver sangue, nem de falar so bre temas como aborto, racismo, loucura, e ‘O Grito’ na verdade dá primazia à expressão de sentimentos em relação a simples descrição dos fatos, promovendo uma deformação da realidade para expressar de forma subjetiva o ser humano e a sua natureza”, conclui o diretor.

Também composta pelo autor para “O Grito”, a música “Minha Voz” teve como arranjador o músico Cris Saramago e é interpretada pela atriz e cantora Julia Sorrentino, juntos em cena.

FICHA TÉCNICA
CONCEPÇÃO E DIREÇÃO – Carrique Vieira
ILUMINAÇÃO – Carrique Vieira
FIGURINOS – Ópera Prima Teatral
PESQUISA MUSICAL – Lucas Bazzano
VISAGISMO – Carrique Vieira
FOTOGRAFIA – Sérgio Odilon
ESCULTURAS E MÁSCARAS – Priscila Cardoso
PESQUISA HISTÓRICA E IMAGENS – Nayara Mattos Barreto
ASSESSORIA DE IMPRENSA – Bl News Comunicação
AMBIENTAÇÃO – Ópera Prima Teatral
MÚSICA FINAL – Carrique Vieira e Cris Saramago
PRODUÇÃO – Carrique Vieira e Jeremias Flores
ELENCO – Adriano Filizzola, Carrique Vieira,Chris Moraes, Cris Saramago,Gabriel Óliver, Jeremias Flores,Júlia Sorrentino,Kate Garciah,Maria Gomes,Mariana Pompeu,Priscila Cardoso,Sílvio Garcia,Wagnera

SERVIÇO:
Espetáculo teatral “O Grito” – Local: CASARÃO DA FRÓES
Endereço: Estrada Leopoldo Fróes, 435 – São Francisco – Niterói – RJ (em frente ao Iate Clube Brasileiro)
Capacidade: 100 lugares
Datas: 05, 06, 12, 13, 19, 20, 26 e 27 de Novembro de 2016 às 20 h
Censura: 18 anos
Ingressos:
R$ 50,00 inteira
R$ 25,00 meia
R$ 30,00 lista amiga

Créditos: Bia Lima / Assessoria

 

(Visited 44 times, 1 visits today)

Comentários no Facebook

Anuncie Aqui! Dê Mais Visibilidade ao Seu Negócio CLIQUE AQUI E ENTRE EM CONTATO