Nego Álvaro lança o CD “Cria do Samba”, no Rival, dia 28 de Setembro

Álvaro dos Santos Carneiro, leia-se Nego Álvaro é a grande promessa do momento, o cantor, compositor e percussionista é nascido e criado em Bangu, hoje morador de Honório Gurgel, mas foi em Irajá que começou a atuar profissionalmente na música, aos 15 anos de idade, no Pagode da Tia Ciça, de 2004 a 2006, roda frequentada por grandes figuras do samba.

Fruto das rodas de samba, Nego Álvaro foi abençoado pelas sombras da “Tamarineira” mais famosa do Brasil, começou em 2008 e tocou por 5 anos no templo mágico chamado Cacique de Ramos, roda de samba que era comandada por Bira Presidente e Renatinho Partideiro, quem nunca ouviu falar?

Com uma vivência musical variada, ele e os 3 irmãos ouviam de tudo quando criança. “Meus pais ouviam o que tocava nas rádios, desde Roberto Carlos à Raça Negra”. E ele passeou ainda por outros ritmos. “Meus irmãos gostavam de funk na época, já fui fanqueiro, depois black music, rap, hip hop, charme… Fui até dançarino mirim de grupos de dança, dançava esses ritmos”, Álvaro se diverte com as histórias do passado. Sendo que, outro legado criado por grandes músicos ganharam suas preferências. “Minha principal referência é o grupo Fundo de Quintal, e graças a Deus minha família sempre foi bem eclética, então, fui influenciado pelo som do Bebeto, Jorge Ben Jor, Seu Jorge, Zeca Pagodinho, Jorge Aragão, Djavan e ainda Candeia, meu ídolo maior dos que já se foram”, atesta.

Voltando à sua trajetória, passou ainda por diversas rodas de samba conhecidas do público carioca, tais como: “Clube do Cozido”, em 2008, que era mais conhecido como “Cozido do Zeca”, local onde Zeca Pagodinho recebia seus amigos para beber e bater um bom papo. Canto do Batuqueiro, Beco do Rato, Samba Luzia, Mafuá no Quintal, entre outros…

Mas foi no Samba do Trabalhador, a partir de 2010, que surgiu o cantor, até então Álvaro Santos, quando interpretou pela primeira vez a música “Estranhou O Quê?”, no 2º DVD/CD” Moacyr Luz e Samba do Trabalhador ao Vivo no Renascença”. Participa ainda com “Eu Só Quero Beber Água” com Moa e Gabriel, e “Cabô Meu Pai” com o grupo todo. CD e DVD, lançados em 2013.

A partir deste disco, despertou interesse em Moacyr Luz em fazer um CD solo de Nego Álvaro, apelido carinhoso que o próprio “Moa” colocou. Moacyr chamou Pretinho da Serrinha para produzir o disco, que logo de cara aceitou e fez genuinamente o “CD Cria do Samba”, que conta com as participações de Sereno, Mart’nalia e Moacyr Luz. O trabalho conta com arranjos de Rildo Hora, Carlinhos 7 Cordas, Pretinho da Serrinha, Rafael dos Anjos e Thiago da Serrinha.

Com a chancela da Coqueiro Verde Records, o CD vem com 11 faixas, e traz muita coisa boa. Das muitas surpresas, Nego Álvaro destaca a introdução da faixa “Hino Vira Lata”, que começa com repique de mão, em homenagem a rapaziada que não deixa o ritmo cair, os batuqueiros do país. “O disco é um pouco do que eu sou, passeio pelo autêntico samba, vou ao samba rock e finalizo fazendo uma homenagem ao Rio de Janeiro, falando dos lugares que quase nunca são citados nos cartões postais da cidade, mas que talvez sejam bem mais cariocas”, desabafa o músico.

Álvaro é músico da rainha do samba Beth Carvalho, a parceria começou em 2014, quando foi gravar o DVD e ficou até os dias de hoje, e nos shows divide com ela a música “Ainda é Tempo Pra Ser Feliz”.

Nego Álvaro tem ainda outros parceiros de música, como Moacyr Luz, Marcelinho Moreira, Pretinho da Serrinha, Sereno do Fundo de Quintal, Leandro Fab, João Martins, Gabrielzinho de Irajá e por aí vai…

Como instrumentista já acompanhou, Zeca Pagodinho, Fundo de Quintal, Zélia Duncan, Dona Ivone Lara, Arlindo Cruz, Caetano Veloso, Mariene de Castro, Baby do Brasil, Jorge Ben Jor, Dudu Nobre, Leci Brandão, Mart’nalia, Sombrinha, Velha Guarda da Mangueira, Xande de Pilares, Jorge Aragão, Maria Rita, Adriana Calcanhoto, Ney Matogrosso, Teresa Cristina, entre outros…

E esse talento vem despontando no cenário nacional. E ele, sabe muito bem o que quer… “Mesmo com essa extinção dos discos físicos, rola um pouco de receio com o futuro da música, percebo que as coisas que viralizaram na internet são sempre algo banal, coisas engraçadas, vulgar e etc… Estamos vivendo um período de readaptação, de renovação e se estivermos de olhos abertos passaremos bem por essa etapa. Sou fã absoluto dessa arte e tenho fé que dias melhores virão!”, sentencia o músico.

Não é pra menos, na estrada, literalmente, já tocou em Manaus, Belém do Pará, Maringá, Curitiba, São Paulo, Maranhão, Bahia, Recife, Vitória, Porto Alegre, Belo Horizonte e até Venezuela, e essas etapas ensinaram muito, quer construir uma história musical “é bem mais sólido, do que buscar incessantemente o sucesso”, alega Nego Álvaro.

E em casa, mais musical ainda, a mulher Simone Costa, é também cantora e sua primeira fã. Mas nesse momento, eles então às voltas com outra sintonia, com sons de um bebê recém-nascido. E com 28 anos, Nego Álvaro, está pronto para novos horizontes, é chegada a hora para sua estreia em carreia solo com o “CD Cria do Samba”. O Termômetro é a música “Estranhou o quê??? preto pode ter o mesmo que você…!”, indelével, virou um hit nas rodas de samba.

O show ganha reforço de um time de primeira, com Dirceu Leite – sopros, Leandro Pereira – violão 6 cordas, Hudson Santos – violão 7 cordas, Thiago da Serrinha – cavaquinho, Misael da Hora – teclado, Júlio Florindo – baixo, Dânio Braga – bateria, Quininho – surdo e cuíca, Júlio – tan-tan, Gudy – percussão, Jorge Alexandre – pandeiro e no coro: Mingo Silva e Tina.

 

Teatro Rival Petrobras

Rua Álvaro Alvim, 33/37 – Centro / Cinelândia

Tel. (21) 2240 4469

https://www.facebook.com/teatro.rival/

Capacidade: 400 pessoas

Faixa etária: 18 anos

Horário: 20h

Entrada: R$ 40 (preço único)

Bilheteria: das 12h às 16h e durante os shows da casa a partir do horário de abertura.

Abertura da casa: 1h30 antes do show

Aceita cartões de crédito e débito.

 

(Visited 7 times, 1 visits today)

Comentários no Facebook

Anuncie Aqui! Dê Mais Visibilidade ao Seu Negócio CLIQUE AQUI E ENTRE EM CONTATO